segunda-feira, 26 de março de 2012

domingo, 25 de março de 2012

Dia de Vela

Hoje não houve sistema de gestão da qualidade, não houve carro, não houve vigas nem momentos flectores, nem integrais nem derivadas, nem sequer houve guitarrra nem amplificadores nem engenhocas e invenções...

Hoje foi dia de Vela!

 

 





Para tirar a barriga de miséria...



sexta-feira, 23 de março de 2012

LM317- O Chip Prodígio


Há uns anos atrás, pouco depois de começar a tocar guitarra e (quase imediatamente) me ter interessado pela electrónica, comecei a deparar-me com o terror da corrente alterna, ou seja, a dificuldade que havia em isolar o ruído de 50 ciclos que a porcaria dos transformadores do “chinês” injectavam no sinal.

Soluções haviam, mas cheiravam-me todas a ouro dos tolos. Coisa cara e pouco substrato. Ou seja, sempre tive a desconfiança que haveria de haver maneira simples e barata de filtrar bem uma fonte DC para fins de audio… Nas páginas da Guitarrist apareciam de longe a longe caixa mágicas chamadas de “fontes reguladas” que prometiam milagres no que toca a alimentar pedais de forma limpa sem besuntarem o som com a porcaria do ripple provindo dos filtros…

A Ibanez vendia umas fontes baratas que resolviam bem o problema, mas com 200mA de corrente máxima perdi a conta às que queimei a tentar alimentar um montão de pedais só com um transformador…

Só alguns anos mais tarde, quando me matriculei num CET de nível 4 em Mecatrónica, é que comecei, nas aulas de electrónica industrial, a perceber os fenómenos por detrás do ruído que há tanto tempo me atormentava, e não se conseguem achar soluções sem primeiro perceber os problemas não é? (NOTA: Na altura só podia ter internet na escola e na biblioteca municipal e pensava que essa modernice para pouco mais servia que para perder horas no IRC a falar com psicopatas)

Fiz algumas experiências com fontes comutadas, com fontes shunt, com condensadores ridiculamente gigantes mas nada parecia atingir uma relação complexidade-preço-desempenho satisfatória, até que perdi a vergonha e decidi abrir um daqueles transformadores Ibanez. Foi então que descobri aquele que é para mim o chip prodígio da electrónica de potência:


Trata-se de um regulador de tensão DC capaz de lidar com correntes da ordem dos 1.5A e sobretudo suficientemente rápido para reagir e anular os 50Hz da tensão da rede (50Hz não é nada em termos de tempo de reacção da maioria dos dispositivos semicondutores).

Desde que descobri este integrado que o tenho utilizado em montes de projectos que de outra forma se complicariam bastante e, não só pelo gozo que me tem dado, mas também pelo dinheiro e tempo que me tem poupado, elejo aqui o LM317 como o melhor chip de todos os tempos!



A implementação básica (fonte regulada ajustável) esquematiza-se assim:

NOTA: Para a maioria das aplicações podem omitir-se os condensadores. Ver sugestões de implementação na ficha técnica do fabricante.


Alguns dos projectos onde já utilizei com sucesso este chip:

1-Regulador de tensão 13.8V para a saída do gerador do motor fora de bordo do trimaran Fulô;
2-Regulador de tensão 13.8V para o painel solar;
3-Redutor de tensão para 12V para 5V para alimentar uma dispositivo USB a partir de uma tomada de isqueiro;
4-Regulador de tensão para alimentar pedais de guitarra a 9V;
5-Fonte de alimentação dupla (-18V 0 +18V) para amplificador audio baseado no chip LM1875;
6-Fonte de corrente constante para amplificador baseado em FETs

Mas como o que aqui me trás é a história da alimentação dos pedais da guitarra e como sei que há por aí mais gente à toa com o assunto, aqui fica a minha solução mais-que-testada-e-ensaiada para o problema:

S.S.G.E.P.S.- SUPER SIMPLE GUITAR EFFECTS POWER SUPPLY

Nota: Este é o circuito base. Faltam interruptores, leds piloto e todas aquelas mariquices que devem ficar sempre ao critério do artista...


PS: Evidentemente que a decisão por avaliar se tem os conhecimento para construir este equipamento terão de partir de si. Apesar de ser relativamente simples, há perigos inerentes a todos os projectos eléctricos que não deverão ser descurados, nomeadamente:
1- Presença de tensão de rede 230V~envolvida- Perigo de morte;
2- A saída de um regulador mal montado poderá danificar os equipamentos a montante e a jusante. Deverá SEMPRE medir a tensão de saída do regulador antes de o ligar ao circuito que se destina a alimentar

NOTAS:
-Para corrente até 5A pode optar-se pelo LM338, http://www.national.com/mpf/LM/LM338.html#Overview, um pouco mais caro mas igualmente simples e eficaz;
-Para  concepção de fontes  –V  0 +V (os circuitos de áudio usam-nas amiúde para alimentar ampops e chipamps) existe o regulador equivalente mas para tensões negativas: http://www.national.com/mpf/LM/LM337.html#Overview


A versatilidade deste chip permite que seja utilizado num sem número de outros projectos. Conforme me forem ocorrendo, colocarei aqui algumas outras soluções airosas para problemas do dia-a-dia do DIYourselfer baseados neste humilde integrado ...

Lembrem-se: Nem tudo o que reluz é ouro, e com 25 tostões e um bocadinho de pesquisa podem deixar-se muitas "caixas mágicas" onde pertencem: Nas prateleiras da loja...

Até logo

From paper to the breadboard: Work in progress

A while back I posted an idea for a a tremolo circuit based on a LFO oscilator and a DIY optocoupler.

Meanwhile I've managed gather the parts and here's an update on the project:

The idealized circuit:



The first prototype (still on the breadboard):





The DIY optocoupler detail: This is the fun part of the project...It actually isn't but a LDR (light dependant resistor) and a LED face to face inside a piece of opaque plastic tubing. The output of the oscilator feeds the LED which in turn makes the resistance across the LDR to rise and fall at the same ADJUSTABLE rate... Because the LDR leads connect the input to ground this circuit makes for a nice analog tromolo... Quite simple!



The first impressions:

1- As expected, and due to the square wave characteristic of the 555 LFO, the fast tremolo effect is a bit harsh... On the good side this same characteristic makes the circuit great for fast switching effects. Remember "Temporary Remedy" by Ben Harper?. With "rate" and "depth" midway across the range things smooth down a bit and the sound is actually quite pleasant... I'll try to make a few sound clips and post them here later on.

2- The archaic "depth" control actually works pretty well, having needed only a higher than 500R limiting resistor:  I've found that if the LED gets too bright there's a faint but annoying poping sound at the same rate as the tremolo mixed in the output...

3- At this point the sound signal remains fully "passive", meaning, no boosting has yet been added and tonewise the sound remains fairly untouched. Still to be implemented are the booster, tone control and diode clipping sections...


Further Ideas:

1-The LFO I picked is actually a dual 555 timer in one package (the LM556), so there's room to add another optocoupler in parallel with the first one and probably get some weird variable speed tremolo effects...

2-Another option would be using the second LFO to produce a saw-tooth shaped wave... hum... we'll see...


Keep tuned!

terça-feira, 13 de março de 2012

The trimaran, one more weekend at its mooring...

Last Saturday afternoon in Alhandra, with "Azul" sailing by under a Northern breeze...

I'm still sailing in a sea of differential equations for the time being...

Hopefully the upcoming Easter holiday will allow for a much sought after sail...

segunda-feira, 12 de março de 2012

domingo, 11 de março de 2012

sábado, 10 de março de 2012

O Trimaran na TV

Embora no seguimento de uma infelicidade, aqui fica o registo do Barco Mais Bonito de Alhandra em grande plano na TV Nacional



Só uma correcção ao Jornalista, evientemente com elevado grau de alfabetização, OS RIOS NÃO TÊM COSTAS, mas sim margens... enfim. Da TVI o que mais se poderia esperar?

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/desaparecimento-tejo-homem-bombeiros-alhandra-tvi24/1330489-4071.html

quarta-feira, 7 de março de 2012

Pop screen (Need is The Mother of Invention, part two)

A Do It Yourself pop-screen...

A metal ring (a slice from a steel pipe, actually...) two layers from a piece of old pantihose, some nylon tie-straps and a pair of chop sticks (from a recent take-away meal...)


As always, not state of the art, but it does the trick...


quinta-feira, 1 de março de 2012

Tremolo? Diode clipper? Booster? Tone control?

How about all four in the same package?

Work in progress...suggestions welcome...